Doenças que vem da escola

como evitar doenças na periodo escolarOs especialistas recomendam preparar as crianças, alguns dias antes, para que vão adquirindo os hábitos perdidos durante o verão.

Após as férias, chega de novo a rotina para todos e os mais pequenos são confrontados com a volta as aulas. Se para todas as crianças é um momento muito especial, cheio de desafios e novidades, para os pequenos com doenças crônicas e suas famílias, estes dias de setembro são ainda mais especiais.

A escola não só é o lugar perfeito para promoção de hábitos de saúde, mas o site em que as crianças vão passar muitas horas e o ambiente também deve estar preparada para atender as suas necessidades. A

Associação Espanhola de Pediatria de Atenção Primária (AEPap) fornece aos pais e à comunidade escolar uma grande quantidade de material educativo, como o Guia AEPap para Centros de saúde, pensada para oferecer toda a informação sobre o cuidado de crianças com doenças crônicas, como a asma, a diabetes , na escola.

É um Guia é um instrumento útil para professores e educadores, porque, embora a maioria das crianças em idade escolar gozam de boa saúde, não é raro que os pequenos apresentam algumas patologias em sala de aula, tanto agudas como crônicas.

Seu objetivo é proporcionar aos professores e outros profissionais que trabalham em escolas de Ensino Fundamental e Médio, nas escolas infantis, os conhecimentos e as habilidades necessárias para resolver estas situações, em ocasiões de emergência, que podem afetar a qualidade de vida da população infantil.

Além disso, a escola é um importante cenário da promoção da saúde, como o demonstram as iniciativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), Escolas Promotoras de Saúde, do próprio Ministério da Saúde,

Ganhar Saúde na Escola o Programa Sim!, que indicam a importância do ‘cole’ como centro de promoção de hábitos de vida saudáveis desde a infância

Se o seu filho tem alguma doença crônica, como alergia crônica, asma, diabetes, doença celíaca, intolerância a certos alimentos algum problema em seu desenvolvimento, é importante que eles saibam que em sua escola.

Além disso, os professores e educadores são uma figura-chave na detecção precoce de problemas de saúde que podem interferir no processo de aprendizagem de seu filho, como problemas de visão, distúrbios da linguagem, dislexia…

A comunicação entre pais e professores é um pilar chave da boa saúde física e emocional de nossos filhos”, diz a Dra Conceição Silva Pina, pediatra e presidente da AEPap.

No caso de crianças com asma, o início do curso pode ser uma época especialmente difícil, porque o pequeno, tem contato com um maior número de gatilhos em sala de aula, que permaneceu fechado durante os meses de verão.

Por isso, antes de começar a escola, talvez, é conveniente consultar o seu pediatra se deve levar algum tratamento preventivo de base como usar wallababie (para crianças menores) e/ou dar algumas diretrizes de atuação e tratamento a seu professor, de preferência por escrito, que incluem dicas em caso de que o pequeno tenha sintomas em sala de aula.

Para as crianças com diabetes, é conveniente que todo o pessoal docente do centro saiba o que fazer em caso de emergência e onde está a medicação.

Às vezes, esses pequenos podem precisar de ingerir algum alimento fora das horas de refeição para evitar as hipoglicemias e também é possível que precise de injetar insulina em sala de aula, por isso os professores devem estar cientes de seu diagnóstico e o seu conforto e dos cuidados.

As doenças crônicas representam, além do físico, um desafio emocional e piscológico para muitos pequenos, que não querem se sentir diferentes de seus colegas e que podem chegar em alguns casos, a negar disfarçar sua própria patologia por falta de aceitação.

No caso dos mais pequenos, as dificuldades podem advir de sua incapacidade para controlar ainda os seus sintomas medicação; enquanto que no caso dos adolescentes, podem chegar a prescindir do tratamento por sua conta, para continuar a fazer uma vida o mais semelhante ao seu grupo de amigos.

Por tudo isso, para muitos menores espanhóis com doenças crônicas, a volta às aulas pode ser um momento ainda mais especial do que para o resto de seus companheiros, pelo que a comunicação entre a família e a escola é fundamental.

Dicas para uma volta às aulas mais suportável

secadores-de-maos-coliformes-fecaisEmbora para algumas crianças voltar ao colégio supõe reencontrar-se com seus amigos , para a maioria de voltar a rotina depois de mais de dois meses de férias e dizer olá para os madrugones e os deveres não é tarefa fácil.

Por isso, segundo os especialistas, é fundamental preparar as crianças alguns dias antes para que a volta seja mais fácil e que vão, pouco a pouco, adquirindo os hábitos perdidos durante o verão.

O horário. É aconselhável recuperar o costume de deitar-se cedo, para que as crianças possam acordar com mais facilidade e não sofra de distúrbios do sono, como a síndrome do atraso de fase, isto é, quando o sonho se inicia, pelo menos, uma hora mais tarde que o desejado dificultando o acordar pela manhã e produzindo sonolência diurna”, explica a Dra Sánchez.

A dieta. No verão temos a tendência de relaxar e modificar um pouco tanto o tipo de alimentação, como os horários das refeições.

Um bom pequeno-almoço é fundamental já que traz vitalidade para enfrentar o dia e facilita o desempenho tanto mental como físico dos mais pequenos, por isso é necessário que alguns dias antes da volta para ir se acostumando com as crianças para um bom pequeno-almoço, calculando o tempo necessário para que o façam sem pressa.

Neste decálogo da alimentação pediatras da AEPap recolhem algumas das chaves para que as crianças levem um estilo de vida saudável ao usarem o Womax extreme em algumas dietas restritivas.

Motive-os. Por outro lado, convém ajudá-los a preparar-se animicamente, destacando os aspectos positivos, é bom que os pais conversem com as crianças e transmitindo tranquilidade e entusiasmo pelo novo curso.

Você pode contar tudo o que vão aprender, os novos amigos que vão asaber explicar o reencontro com colegas e professores”, explica a doutora, e acrescenta, algo que costuma funcionar é deixar que as crianças ajudem a preparar o material escolar”.

Leve-os no primeiro dia. É aconselhável que, a ser possível, levar seus filhos ao colégio no primeiro dia, especialmente os mais pequenos, que chegam pela primeira vez, já que é um momento importante para eles.

Embora também seja um momento difícil para os pais, não convém fazê-lo demasiado longo, devendo mostrar a confiança e a segurança na escola e despidiéndote com naturalidade, deixando claro que você voltará e que se trata de um até logo”.

A melhor mochila. É importante também escolher a mochila certa para adolescentes e crianças , a fim de evitar lesões qualquer sobrecarga muscular nas costas.

Conforme explicam os cientistas, há vários aspectos a ter em conta; a mochila deve ser do tamanho adequado para a idade de cada criança, é melhor se é acolchoado e tem que ser sempre sobre ambos os ombros, deixando que o peso habitem na zona superior das costas.

É bom que os pais controlem o conteúdo da mochila e ensinem seus filhos a organizá-la e a dividir o fardo”, conclui a Dra Sánchez.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *